Tuesday, May 10, 2016

Batizado do Heitor

Batizado do Heitor


Brigadeiros feitos com amor pela Dinda Manuela
Bolachas feitas por Maria Gorette Luz





Realizamos o batizado do nosso filho, com uma cerimônia em casa, com apenas os padrinhos e os parentes mais próximos (avós, pais e irmãos).  Durante a cerimônia, os padrinhos fizeram uma leitura de um texto escrito pela Jornalista Manuela Macagnan (madrinha), mamãe disse algumas palavras e o bebê recebeu a bênção dos padrinhos com água fluidificada. 

Doces feitos por Ateliê Cassia de Bortoli
Detalhes da decoração feitos por GeC Personalizados
Macarrons Babette
Tags Fazendo a nossa festa

Monday, May 12, 2014

A história dos amantes


Ontem assisti a peça "A história dos amantes" no teatro Brasil Kirin no Iguatemi de Campinas-SP. Não podia deixar de postar porque a peça é sensacional, sabe aquela dor no maxilar de tanto rir, pois é... aos amigos que tiverem a oportunidade de assistir, não percam!
Primeiro texto de teatro de Marcelo Serrado e também sua primeira direção, a comédia fala sobre a visão masculina dos relacionamentos e do universo feminino. Produzido por Eduardo Barata em parceria com Marcelo Serrado, a peça traz Anderson di Rizzi, Daniel Rocha e Hugo Bonemer, que interpretam Zé, Hugo e Luiz, 3 amigos de infância que se encontram em um bar para uma apresentação da banda integrada por eles. 

Tuesday, March 18, 2014

Máquina de tirar silagem



Moraes et al., (2008) estudando a produtividade e valor nutritivo das plantas de milho de textura dentada ou dura em três estádios de colheita para silagem, constataram que independente das maturidades, o híbrido de textura dentada apresentou maior produtividade de massa seca que o híbrido de textura dura. Os autores comentaram que a proporção das partes da planta com avanço da maturidade revelou que independente do híbrido houve redução na proporção de folha principalmente de ½ leitoso para ¼ leitoso e aumento na de espiga a partir de ½ leitoso e camada preta, sem alteração na proporção de caule. Tal fato evidencia a translocação de fotoassimilados das folhas para enchimento dos grãos, tendo o caule função apenas de sustentação e depósito de água, a partir do estádio ½ leitoso até a maturação fisiológica.



MORAES, G. J. de; COSTA, C.; MEIRELLES, P. R.de L.; OLIVEIRA, K.de;
FACTORI, M.A.; ROSALES, L.A.dos; SANTOS, T.A.B.dos. Produtividade e
valor nutritivo das plantas de milho de textura dentada ou dura em três estádios de
colheita para silagem. Boletim da Indústria Animal. Nova Odessa,v.65, n.2, p.155-
166, abr./jun., 2008

Tuesday, March 11, 2014

Tuesday, February 4, 2014

Carros Cubanos

Fiquei admirada com os carros Cubanos, a maioria eu nunca havia visto. Todos reformados, funcionando, muito bem.... Não entendo e também muito busquei ler muito sobre história, mas lá  me contaram que a maioria dos carros vieram da União Soviética .

Chevrolets, Fords, Cadillacs, Dodges, Buicks... o turista mais desavisado que chega a Havana tem a impressão de estar mergulhando numa cidade americana dos anos 50. Uma verdadeira viagem no tempo, como diz o colunista Fernando Barenco.








Monday, February 3, 2014

Instituto de Meteorología Cubano

Durante viagem à Cuba, eu e um trio de pesquisadores mexicanos fomos recepcionados pelo MSc. Magdiel Díaz para visita e um super tour pelo Instituto de Meteorologia de Cuba. Um lugar com arquitetura antiga e uma vista espetacular da cidade de Havana. Conheci a sala de previsão do tempo e pude notar o quanto eles se esforçam para buscar informações e novas tecnologias para a melhor detecção de futuros eventos meteorológicos extremos, sendo que Cuba já foi alvo de furacões muitas vezes e ainda ajudam os EUA a se proteger contra furacões. Sendo que um furacão que passa por Cuba não precisa de visto para entrar nos EUA!!

 Acadêmia de Ciências do INSMET
 Fachada do prédio de Astronomia


 Na sala de previsão do tempo com a equipe
 MSc. Magdiel Carrasco Díaz
Vista do INSMET

Para maiores informações acesse o site do INSMET

Friday, January 31, 2014

VII Congresso Cubano de Meteorología

No ano de 2013 teve a 7º edição do Congresso de Meteorologia Cubano com o tema "La meteorología Cubana en un mundo cambiante", entre os dias 3 a 6 de dezembro no Hotel Havana Libre Tryp, na Capital Cubana La Habana!! Que eu tive o prazer de participar e apresentar o trabalho parte da minha dissertação de mestrado. O Congresso abrange diversas áreas da meteorologia como mudanças climáticas, contaminação, previsão do tempo, climatologia, meteorología agrícola, clima e educação, física da atmosfera, marítima entre outros, assim como teve conferencias e palestras de renomados pesquisadores da área.
No encerramento do primeiro dia teve uma festa de boas-vindas que eu achei sensacional, foi na cobertura do hotel, teve jantar e cuba libre \o/ neste momento que pude conhecer melhor os pesquisadores e trabalhadores da mesma área de pesquisa que desenvolvo, conheci pessoas incríveis e todas muito amorosas. Após o jantar teve música, todos dançando e o teto da cobertura do hotel se abriu... divinoo!! Voltei para o Brasil como uma linda impressão dos Cubano e principalmente do Congresso e só tenho a agradecer a recepção que todos tiveram comigo! Obrigada
Durante minha apresentação

 1ª Conferencia Latinoamericana e caribeña sobre a participação das mulheres
 na meteorologia, hidrología e meio ambiente

Dr. Vladimir Guevara
 MSc. Rogert Sori
 Dr. Alexis Mansilla

Certificado de participação e apresentação

Tuesday, January 28, 2014

Férias em Família

Eu acho que desde que nasci, nunca vi tanta gente da minha família junto. Sinceramente não sei exatamente como isso aconteceu, mas eu acho que a carência de família unida bateu no coração de cada um de nós... A família da Cema foi toda para a praia e assim começou a juntar uns daqui, outros dali, família da Rosa, do João, do Zé e do Rodrigo foram se aproxegando e quando vimos a m#$%@ toda estava feita, estávamos todos, juntos.... Faltaram poucos da nossa família, mas 90% eu acredito que estava presente, nem nas formaturas, casamentos e etc juntou tantos Brandões por m².... Foi o legítimo ENFADÃO (Encontro da Família Brandão) apelidado pela minha prima Clarissa! 
E sabe que tirando uns tragos a mais dali e outros... deu tudo certo e acredito que daqui pra frente essa necessidade de juntar-mos será maior... porque nas lembranças ficaram os momentos maravilhosos, as risadas, os contos da família e as fotografias para que possamos sempre recordar, que não somos apenas um, somos muitos e somos uma grande família! Cada um com as suas diferenças sendo respeitadas, suas individualidades, acredito que precisamos mais disso... Hoje somos um em cada canto, talvez não nos conhecemos mais como antes, na infância... está aí essa importância.... De ver a  nova geração junto, brincando e se conhecendo... Das gerações antigas se reencontrando e se reconhecendo! Cada um tomou um rumo, em busca dos seus sonhos mas não podemos nos esquecer da nossa base, a nossa base familiar, porque são com eles que podemos contar, é o mesmo sangue que corre nas veias, é a nossa natureza...









Reveillon 2014

Muitos preferem viajar no Reveillon, passar em alguma praia, no exterior ou mesmo em uma grande festa em algum clube. Não sei se é a distância que resido da minha família, mas para mim o Reveillon é uma festa onde eu gosto de estar ao lado de todos, já que no Natal ultimamente costumamos separar as famílias desde que minha avó faleceu (exatos 26 anos atrás), até tentamos unir algumas vezes, mas acredito que a união de nossa família era dada por ela, a qual eu não vivenciei muito... Enfim, este ano conseguimos juntar parte da família e se tornou muito agradável, contando causos passados e vendo a nova geração cada vez maior.

 Minha mãe Maria Iracema 
 Um pedaço da família que estava presente na Virada
 Meus compadres :)
S2

Monday, January 27, 2014

A importância da comunicação para o engenheiro agrônomo

Que todo mundo depende do campo para sobreviver, não é novidade para ninguém. Sem uma agricultura forte não existiria comida suficiente, tanto para vegetarianos, quanto para carnívoros ou qualquer outra pessoa.
O que deve ser discutido, no entanto, é que as pessoas parecem não se dar conta da importância do campo. É como se quem vive nos grandes centros urbanos não tivesse ideia de onde vem aquele kit com legumes prontos para colocar na sopa. Alguém plantou o milho, a batata, a mandioca, mas as pessoas parecem não pensar nisso. E, assim, as crianças crescem sem se perguntar como o leite foi parar na caixinha, como os ovos acabaram naquelas embalagens e como o frango virou nugget.
Já que os engenheiros agrônomos não podem dedicar a vida a fazer palestras e visitar escolas mostrando o seu trabalho e ensinando de onde vem o que comemos, o ideal é investir na comunicação e em meios que sejam acessíveis para o público em geral.
É importante que exista um canal de comunicação fácil e direto entre os agrônomos e a imprensa, por exemplo. Porque é necessária a exposição do campo na mídia mas, ao mesmo tempo, é extremamente difícil encontrar um jornalista que viva no campo.
Assim como existem repórteres especializados em esporte, em política, em economia, deveríamos ter jornalistas especializados em agronegócios. Que entendam deste amplo universo, que saibam sugerir pautas, que busquem questionamentos, melhoramentos e corram atrás de fontes capazes de fornecer as informações e o conhecimento que deve ser passado adiante.
Lógico que ter veículos especializados não basta. Uma revista especializada em agricultura, por exemplo, é direcionada a profissionais da área e não ao público em geral, então o conhecimento continua centralizado. É necessário mais. É importante ter assuntos ligados ao campo no jornal diário que as pessoas compram nas bancas. No telejornal que a família se reúne para assistir à noite. Na revista que fala de assuntos do Brasil todo, que traz notícias de educação, política, saúde, entre tantos outros.
As pessoas comuns devem saber falar sobre agricultura, devem entender a importância do que vem do campo. Devem ter dimensão do potencial do nosso país nesta área. Deve saber o que o Brasil exporta e para quem. O que o nosso país compra e por que não produzimos aqui. Agronegócios devem fazer parte dos assuntos corriqueiros.
E como vamos chegar a essa situação ideal? Investimento em comunicação. Falando, escrevendo, disseminando conhecimento. E, neste caso, a internet é um importante aliado dos profissionais de ciências rurais. Quer meio mais fácil de divulgar, trocar e buscar informações? Seja através de fórum de discussão, das redes sociais, de blog...
Hoje em dia os meios de comunicação são tão eficazes que não se fala mais em online ou offline. Já se diz que as pessoas estão on-life, pois estamos o tempo todo conectados, seja através de smartphones, do computador ou até da televisão – que fica conectada à internet. Isso tudo deve ser utilizado a favor dos profissionais do campo.
Um agrônomo que está preparando a terra para o plantio usando um trator, pode estar conectado através do GPS, por exemplo. Assim como outro profissional que está andando no campo para conferir o que foi semeado pode se deparar com uma planta que não conhece (ou reconhece), pode, naquele momento, tirar uma fotografia e postar na internet pedindo informações, usando apenas o celular. Da mesma maneira, uma foto postada na rede social Instagr.am, pode fazer com que leigos aprendam que fruto e fruta não são a mesma coisa. Isso tudo é comunicação, é conhecimento sendo gerado e passado adiante.
O importante é encontrar uma maneira de produzir informação para ser repassada aos amigos, à família, aos amigos de amigos e, assim, criar uma rede de pessoas interessadas nos assuntos do campo.
É de suma importância salientar que, para ter valor, todo o conteúdo deve ser de qualidade. Não vale usar o argumento de que na internet pode tudo, pois assim todo o movimento perde força. Os assuntos descritos devem ser interessantes, escritos de maneira que possam ser entendidos por leigos e não cheio de termos técnicos – e aparentemente indecifráveis.
O português deve ser impecável. Dificilmente um texto com erros gramaticais terá alguma credibilidade. E, mesmo que seja lido por algumas pessoas, não será passado adiante. Por isso é importante ler e reler, prestando atenção ao que foi escrito e será divulgado.
Em diversas profissões já se exige o conhecimento de uma segunda – e até terceira – língua. Com os agrônomos não poderia ser diferente. Para saber se comunicar com profissionais de outros países e aprender com outras culturas, é imprescindível a fluência em outro idioma, além do português.
As fontes sempre devem ser citadas. Escrever, pesquisar, ler, anotar, perguntar... Tudo isso dá trabalho. E ninguém gostaria de ver o resultado do seu esforço publicado com o nome de outra pessoa em um blog ou qualquer outro lugar.
Por isso, sempre que precisar do conhecimento, das palavras ou do trabalho de outros profissionais, deve-se dar os devidos créditos. Não importa se foi uma simples entrevista de três perguntas ou se foi uma pesquisa em um trabalho de 500 páginas, o autor merece ser citado.
Por fim, além da importância da comunicação para transmitir conhecimento à população em geral, é necessário investir na comunicação com outros profissionais das áreas rurais. Os engenheiros agrônomos trabalham de forma integrada com outros profissionais, como zootecnistas, engenheiros florestais e até veterinários. Investir na comunicação com estes e outros profissionais agrega conhecimento e possibilita uma troca de informações que é vantajosa para todos.

Portanto, quanto mais a população em geral e outros profissionais da área conhecerem as funções do engenheiro agrônomo, mais o seu trabalho será reconhecido e valorizado.

Texto da Jornalista Manuela Macagnan

Saturday, January 11, 2014

1 ano de Formatura

Nunca tive dúvidas na profissão a seguir, 5 anos estudando na faculdade e tomando cada vez mais o gosto pela área... Hoje 1 ano após minha formatura, posso dizer que cada dia me sinto mais realizada na minha profissão... Continuo a estudar, tenho a ciência como um sonho e não pretendo nunca parar a pesquisa que move meu coração! Não existe satisfação maior do que acordar e trabalhar naquilo que amamos, não sinto o peso do trabalho, sinto a honra de poder estudar e descobrir um mundo novo todos os dias! Quero além do mestrado em um dos melhores centros de pesquisas científicos do Brasil continuar, sempre, em frente.... Minha mãe diz que errou em me criar com asas e eu a agradeço todos os dias pelas asas que me movem, cada dia pra mais longe de casa e mais perto dos meus sonhos. Obrigada mãe e obrigada a Agronomia por me completar!